Onde é que vou me hospedar?

Isso é normalmente a dúvida que vem na cabeça de quem acabou de comprar as passagens para viajar e começou a pensar na hospedagem.

Um dos principais fatores a serem considerados ao viajar, sem dúvidas é onde se hospedar.
Em alguns casos, durante toda a viagem, a hospedagem pode chegar a ser mais caro do que todo resto junto.

Por padrão, temos a tendência de procurar hotéis logo de cara, algo que pode ser bem pesado para nossos bolsos. O que pouca gente sabe, é que existe uma gama de possibilidades imensa, para todos os tipos de gostos e bolsos.

Em nossas experiências, buscamos explorar opções acessíveis, mas sem perder um mínimo de higiene e conforto. Ou seja, aquele basiquinho que podemos pagar e nos atende super bem.

Normalmente optamos por hostels, pois oferecem tanto boa acomodação como uma excelente possibilidade de interagir com outros viajantes e isso é uma das principais fontes de experiências em viagens: conhecer outras pessoas, outras culturas, compartilhar experiências. São momentos únicos e que levamos para toda a vida.

Para você não errar na hora da escolha conheça as principais opções de hospedagem:

– Hotel – Pode ser uma boa alternativa se a viagem for em casal
– Hostel ou Albergue – Econômico, ótimo para quem viaja sozinho e quer conhecer pessoas.
– CouchSurfing – Gratuito;
– Airbnb – Bom para quando viaja em grupo;
– Pemuta – Seria uma troca de favores, onde o viajante trabalha em troca de acomodação.

Conheça mais sobre cada tipo de hospedagem:

Hotel


Certamente este é o tipo de hospedagem mais conhecido entre todos. Os hotéis existem há milhares de anos, tanto é que o registro de hotel mais antigo ainda em funcionamento, segundo o Guiness Book, é datado do ano de 718.
Os hotéis podem oferecer diversos tipos de serviços, desde o básico que seria somente o quarto, até piscina, sauna, academia, restaurantes e por aí vai.
Não preciso nem dizer que, proporcionalmente aos serviços oferecidos, o valor da estadia aumenta proporcionalmente. Diárias podem variar de R$ 50, por exemplo, até R$ 358.000,00! Isso mesmo, 358 mil reais por uma diária no 13 Hotel, em Macau, considerado o hotel mais caro do mundo atualmente.
Por ser popular, é fácil de encontrar, em qualquer cidade. Sites como o Booking.com fazem gerenciamento do serviço de reserva para grande parte dos hotéis espalhados pelo mundo. É uma forma bem fácil de fazer busca e reserva, assim evita imprevistos.
Nas nossas últimas viagens para Firenze e Veneza, optamos por ficar em hotel, primeiramente porque nossa estadia era curta, em ambas passamos apenas uma noite e a diária do hotel saia mais barato do que se ficássemos em hostel, por exemplo. Isso porque no hotel você reserva o quarto para duas pessoas e em hostel o pagamento é feito por cama. Fizemos as contas e no fim achamos mais vantajoso, nestes casos, ficar em hotel. Se você estiver viajando em casal, pesquise e calcule. Veja se vale a pena.

Hostel ou Albergue


As hospedagens em hostels vêm crescendo constantemente, principalmente nas duas últimas décadas.
O conceito do hostel é bem parecido com o dos hotéis, com a grande diferença de que os quartos não são privados e sim compartilhados. Pode-se encontrar quartos com 4 pessoas até com 32 (o maior que ficamos até hoje, em Londres).
Assim como em hotéis, também oferece diferentes tipos de serviços e atividades extras, porém em um estilo diferente. Podem atender desde pessoas que estão viajando à trabalho e só querem um lugar para dormir, até pessoas que buscam festas e bares. Lembrando que sempre existe o meio termo e em muitos deles, famílias são muito bem-vindas.
Apesar de ser considerado um estilo de acomodação para mochileiros e pessoas jovens, este cenário vem mudando constantemente. Cada vez mais, encontramos pessoas de todas tribos e idades por hostels no mundo.
Se quiser entender um pouco melhor sobre hospedagens em hostels, recomendamos a leitura deste post: 8 Verdades sobre hostels que você precisa saber.


CouchSurfing


O CouchSurfing, em tradução livre seria "Surfando no sofá" e a ideia é exatamente essa.
Pessoas conectadas pelo mundo todo através da plataforma CouchSurfing dispostas a ceder o sofá de casa para um viajante.
O serviço é gratuito tanto para usar a plataforma quanto para se hospedar, eles apenas pedem uma colaboração para se tornar um membro verificado e ajudar a comunidade. A grande questão aqui é que tanto o hóspede quanto o anfitrião precisam estar em sintonia para que a troca exista, tanto em gostos e costumes, quanto com o que representa o CouchSurfing.
Ele é mais do que uma simples acomodação gratuita, é uma troca de experiências e valores. Pessoas que usam querem conhecer novas pessoas e culturas do mundo todo, provavelmente vão querer conversar com você, te levar para passear, compartilhar um pouco das habilidades e experiências de vida que tem.
É algo bem interessante, já que tem a possibilidade de conhecer mais a fundo a cultura do lugar, por alguém que é dali, ou mora no lugar há algum tempo. Isso é sempre muito valioso, já que você conhece mais do que simplesmente conhecer os pontos turísticos da cidade.
Nós elaboramos um guia para você entender como funciona a plataforma e conseguir se hospedar (ou receber alguém) pelo CouchSurfing, falamos sobre isso no post: CouchSurfing: muito mais do que uma hospedagem grátis.

Airbnb


O Airbnb usa um conceito de locação de casa temporária, seguindo a mesma ideia que conhecemos para alugar chácaras, por exemplo.
Pessoas colocam à disposição suas casas ou mesmo quartos para alugar enquanto estão fora. Este método de acomodação tem crescido cada vez mais, por ser prático e cômodo. Te faz sentir em casa.
Algumas opções são até melhores que hotéis e hostels em relação a localização e até mesmo valor, vale pesquisar bem, antes de fechar.
Geralmente recomendamos Airbnb para quando estiver viajando em grupos, pois na divisão por mais pessoas, tende a ficar mais barato.
Vale a pena conhecer um pouco mais sobre a plataforma. Dá uma olhada nesse artigo que escrevemos falando bem detalhadamente: Airbnb. Já ouviu falar? Veja estas dicas para não errar na escolha.
Inclusive, você pode ganhar dinheiro também hospedando pessoas na sua casa!

Permuta


A acomodação em permuta provavelmente é a menos conhecida e a menos usada atualmente, mas nem por isso a torna menos importante.
Eu já usei muito, usaria de novo e recomendo bastante para quem está viajando com mais tempo, ou então para quem não se incomodaria em fazer uma viagem para uma única cidade.
Como funciona? Existem hostels, fazendas, casas e outros lugares que aceitam pessoas e cedem camas (as vezes em quarto compartilhado, as vezes em quarto privativo) em troca de algumas horas de trabalho.
Muitos destes lugares inclusive oferecem alimentação e outros benefícios, como lavanderia, desconto em bebidas no bar e muito mais.
A grande questão é que poucos aceitam estadias curtas, nunca vi algum que aceitasse por menos de 2 semanas, então se o seu objetivo for fazer viagem rápida, como turista, entre 2 e 4 dias em cada cidade, essa não é para você. Mas se estiver com tempo, vale a pena estudar.
Eu já morei em 5 diferentes cidades da Europa fazendo isso, foram 6 meses de acomodação completamente grátis. Em um dos lugares que fiquei, se estivesse pagando, seria o equivalente a mais de R$ 8.000,00 por mês, só com a acomodação – e tinha muitos outros benefícios.
Alguns dos tipos de trabalho que você poderá fazer são: limpeza, recepção, bartender, trabalhos manuais, permacultura e até mesmo cuidar de cachorros, dentre muitas outras atividades.
Se quiser saber um pouco mais sobre a permuta, recomendo ler o artigo: Como o sal pode ajudar você a conseguir hospedagem grátis.
Se quiser saber mais sobre a plataforma que eu usei, dentre as muitas opções disponíveis, recomendo a leitura do artigo: Worldpackers: porque viajar barato é para todos.

Avalie bem os custos


Seja qual for sua escolha, pesquise com antecedência, veja avaliações de quem já se hospedou neste lugar, veja fotos, localização e claro, valores.
Os valores podem variar muito, dependendo da época do ano, da cidade e do que o lugar oferece.
Usando hostel na Europa como referência, já encontramos boas opções por 12 a 14 euros por noite, em contrapartida, já precisamos ficar em hostel pagando 30 euros por noite – sim, era a opção mais acessível.
Na mesma cidade onde encontramos o hostel por 30 euros, encontramos um hotel por 50 euros para o casal, ou seja, 25 para cada. Foi nossa opção para uma noite, porém era um hotel bem afastado da cidade, ficamos nele apenas pela facilidade de acesso ao aeroporto.
Por isso as vezes o valor pode ser subjetivo. Pagar 5 euros a menos por dia na hospedagem, pode acabar encarecendo em outro lado, como precisar de transporte público para se locomover até o centro da cidade, uma vez que pagando mais pela hospedagem, já acorda perto dos lugares de interesse. Isso sem falar na comodidade de não precisar se locomover muito antes e depois dos passeios.

A escolha final


Hospedagem é parte essencial para uma boa experiência. Uma má escolha, pode frustrar todo resto da viagem. Se você não tiver uma boa noite de sono, um bom banho, um ambiente que te agrade no momento que precisa descansar, o dia seguinte será terrível e você não vai aproveitar a cidade como poderia.
Considerando todas as possibilidades, não existe a chance de dizermos que uma opção é melhor que a outra, afinal isso é muito pessoal e varia de acordo com cada planejamento.
Identifique suas necessidades e que pesquise muito, muito mesmo, pois isso faz toda diferença no planejamento de uma viagem, além de ser uma etapa muito prazerosa.


Tipos de hospedagem de sites


Você provavelmente já ficou em dúvida sobre qual tipo de hospedagem escolher para o seu site. São muitas opções, e frequentemente as explicações são técnicas demais, dificultando a decisão. No entanto, a verdade é que os tipos de hospedagem são bem diferentes, ou seja, a decisão é mais fácil do que se imagina.
Há diversos tipos de hospedagem no mercado, indicados para diferentes necessidades. Os principais se dividem em: hospedagem gratuita, hospedagem de sites (compartilhada), revenda de hospedagem, servidor VPS, hospedagem cloud e servidor dedicado. Neste artigo explicaremos o que é e para quê serve cada uma dessas hospedagens, e mostraremos uma tabela com as empresas de hospedagem de sites e os tipos de hospedagem que oferecem.

Hospedagem Grátis


Esta pode ser uma boa opção para quem está construindo o seu primeiro site ou deseja publicar um projeto pessoal. No passado da internet, este tipo de hospedagem ficou com a má fama de que o serviço não era de qualidade e de que as empresas quebravam com facilidade, o que de fato ocorria. No entanto, atualmente existem algumas boas opções de hospedagem gratuita e que atendem a diversos tipos de propósito. Algumas empresas oferecem o serviço de hospedagem básico, apenas com os recursos necessários na modalidade gratuita, o que pode funcionar adequadamente para um site com baixo número de visitantes.
Além disso, grandes empresas passaram a oferecer sua hospedagem completa, mas em regime de free trial (teste grátis). Assim, é possível testar um serviço de qualidade e decidir no futuro se deseja ou não contratá-lo por um período maior.

Hospedagem de Sites (Compartilhada)


É de longe a hospedagem mais utilizada no mercado. Neste plano, diversos sites compartilham o mesmo servidor. Por conta disso, este tipo de hospedagem costuma ter um preço bem competitivo e é indicado para a maioria dos sites institucionais e blogs. É o plano utilizado para o nosso blog, por exemplo.

Revenda de Hospedagem


Este plano é adequado para quem deseja revender a hospedagem de sites aos seus clientes. Recursos como espaço em disco e tráfego costumam ser superiores à uma hospedagem compartilhada, pois a revenda permite colocar diversos sites na mesma hospedagem. Outro grande diferencial é que você pode criar diversos painéis de controle, independentes e customizados com sua própria marca, pacotes e preços.

Servidor Virtual (VPS)


O VPS é um plano intermediário entre o compartilhado e o dedicado. Ele cria dentro do servidor uma máquina virtual, permitindo customizar praticamente todas as configurações, o que lhe confere uma boa relação custo-benefício.

Hospedagem em Cloud


A hospedagem em cloud também se trata de uma máquina virtual, porém ao invés de estar contida em um único servidor, seus recursos estão espalhados por diversos outros servidores. A grande vantagem desta modalidade é a elasticidade de seus recursos, impossível de se conseguir em hospedagens tradicionais. Os preços, um pouco maiores que o compartilhado e inferiores ao dedicado, variam conforme o uso de recursos.

Servidor Dedicado


É considerado um serviço superior aos demais tipos de hospedagem, e por isso, mais caro. Neste tipo de hospedagem, você aluga um servidor inteiro, sem ter que dividi-lo com ninguém. Por ser dedicado, é totalmente gerenciável, e possui recursos e desempenho superiores. É indicado para sites com alto volume de tráfego.

TAGS: Hospedagem, hospedagem servidor dedicado, domínio gratuito net, ospedagem de site, hospedagem de sites, domínios gratuitos para sites, hospedagem de site no brasil, hospedagem de site, hospedagem de sites, criação de domínio grátis, servidores dedicado, hospedagem de site, hospedagens, como fazer hospedagem de sites, qual melhor site para registrar domínio, como funciona hospedagem de sites, preços de hospedagem de sites, registrar domínio, serviço de hospedagem de sites, hospedando sites, hospedagem site, registrar um domínio, tudo sobre hospedagem de sites, hospedagem para site, criação de sites grátis e hospedagem, site grátis com domínio, hospedagem 30 dias, registro de domínio, hospedagem profissional i, melhor site para registro de domínio, melhor lugar para registrar domínio